Visitantes

sexta-feira, 25 de junho de 2021

O RIO E EU




Um rio 

atravessou minha espinha dorsal

sua correnteza 

 me esmagou a pélvis

me esgotou e me sustentou

na sede.

 

agora, esse prazer líquido que eu albergo 

se estende e desliza por detrás dos montes

irrigando minhas fendas e seus abismos

a perder de vista

o rio e eu .  


Maria Lucia (Centelha) 

23 comentários:

  1. Bom dia de paz, querida amiga Maria Lúcia!
    Um Amor de entranha, infiltra-se no âmago do nosso ser.
    Funde-se a tal ponto de não sabermos quem é ele quem somos nós
    Que poema intenso!
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Rosélia quando vens ler e comentar, meu espaço se enche de luz e perfume. Gratidão, minha flor !!

      Beijinhos 🌻🌼🌷⚘🌱🌺🌴

      Excluir
  2. Super fantástico o seu poema. Sensual...belíssimo! :))
    .
    Sonhei ser o calafrio do momento ...
    .
    Beijos, e um excelente fim de semana..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro sua vinda Cidália. Seu olhar de poetisa e consequentementeme seu comentario, me dá segurança. Gratidão.

      Beijo carinhoso.

      Excluir
  3. Um ato de amor, Maria Lucia? O movimento de um corpo entrando no outro por meio de um movimento cíclico que envolve o sujeito de sujeito de enunciação e o outro mediado por um rio? Há uma sensualidade percorrendo o texto do mesmo modo que o rio percorre os corpos conjugados? E o que dizer da função primordial do rio na conjugação aludida? Na premência do ato? Note-se que o poema se organiza em ação passada (atravessou, esmagou, esgotou, sustentou) no primeiro movimento e deságua no presente (contínuo?) albergo, estende, desliza. a revelar como o rio se coloca perante os corpos.
    Beijos a perder vista!

    ResponderExcluir
  4. Um poeta entrou no meu poema. E qual gênio dos degustadorrs , lambeu para sentir o gosto da substância.
    "Senti" o tom firme e forte das perguntas. Tipo um ribombar de um trovão. Um questionamento excitante pra falar a verdade. Mas respondo com a maior doçura de que sou capaz: sim. Um ato de amor.
    Mas, volta aqui um pouquinho José Carlos Sant Anna. Quem fará a pergunta agora sou eu: Gostou do poema? Sim ou Não? ( risos)

    Brincadeira à parte, quero te dizer mais uma vez: amo quando vc vem. Grata.

    Beijos a perder de vista.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Maria Lúcia. Obrigado por nos trazer tanta inspiração com seu texto maravilhoso sobre o amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiz !!
      Um prazer vê-lo por aqui a mergulhar nesse meu rio de palavras. Grata , de coração.

      Beijos doces .

      Excluir
  6. Olá, Lucia!

    Belo e inspirado poema!


    Nas águas desse teu rio
    onde mergulha o desejo
    as fendas sentem tremores
    esperando doces beijos...


    Parabéns poetisa, pela inspiração!!
    Adorei!

    Beijinhos, e feliz fim de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já poetizou o poeta Affonso Romano de Sant´Anna, Poesia
      "não é o que o autor nomeia, é o que o leitor incendeia"., tu fazes o mesmo, querido poeta Mário Margaride, incendeia versando lindamente . Amo de paixão, sabendo que a quadra poética deixada em comentário, foi inspirada num poema meu.
      Beijos poéticos, querido amigo.

      Excluir
  7. Parabéns por poema tão fortemente inspirado no desejo.
    Gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sua vinda muito me alegra Porventura. Grata.
      Meu carinho . 😘😘

      Excluir
  8. Belo poema

    Bom fim de semana

    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata pela leitura Francisco.
      Bom fim de semana pra ti também.
      Beijinhos 😘😘

      Excluir
  9. Doce mergulhar num sentimento de totalidade.
    Magistral!...


    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No amor não tem meio termo. Tem que ser na totalidade .
      Que bom que veio ler e comentar Sol . Adorei.

      Beijo na totalidade.

      Excluir
  10. Maria Lucia, que lindo! Estou aqui a perambular pelas entrelinhas desse belíssimo poema. Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  11. Olá Shirley que bom que veio, que bom que gostou. Grata querida.
    Beijinhos !! 😘😘

    ResponderExcluir
  12. Maria Lucia,

    Nas linhas de água corrente
    que passam nas tuas veias
    entre tu e a nascente
    as marés são sempre cheias!

    Um bom domingo!
    Doces beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai ...que poesia iluminada deixaste por aqui, poeta querido!!

      Um grande poeta que admiro e gosto, como agradecer a ti pelo carinho, pela ternura que deixas por aqui sempre que vem ?

      Doces beijos ...Muitos, Albino, muitos !!

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Tragam os meus sais, pelo amor de
    Deus ou eu morro diante dessa poeta!
    Tem momento que te vejo esvoaçar por
    sobre as flores e em outro serpenteias
    espinha abaixo como rio caudaloso.
    Adoro você, minha amiga querida.
    Um beijo e muito obrigado, M.Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis os teus sais, amigo poeta !! Risos.
      Um sorriso, um abraço e dez beijos!!
      Grata Silvio. Me sinto feliz !!

      Excluir

Que bom que veio!!
Sinto-me grata e feliz por isso!
Graças a um poder imortal a poesia se solta da palavra e se desmancha na alma de quem a recebe